Banner Contato

Notícias

Voltar

16/03/2016

Base Curricular divide especialistas

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é o documento que vai orientar os conteúdos mínimos que os estudantes devem aprender a cada ano na escola, da educação infantil ao ensino médio. Alguns especialistas acreditam que é a chance de focar na qualidade e mudar a educação brasileira. Outros questionam a efetividade do documento e acreditam que ele nunca sairá do papel.

Para a especialista Ilona Becskeházy, o país precisa de uma Base Curricular que busque maior equidade entre as regiões e excelência acadêmica. Para a especialista, o Brasil precisa de uma Base, mas o documento atual  é "capaz de confundir e desorganizar o que já não é bom". Ilona é mestre em educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio e foi diretora executiva da Fundação Lemann (organização que busca projetos inovadores em educação) e acredita que  cabe ao Ministério da Educação (MEC) tomar decisões e liderar o processo de consolidação de uma Base que atenda aos interesses do país."O documento atual é preliminar e foi elaborado por um grupo de especialistas, que incluía professores tanto do ensino superior quanto do básico. Embora não seja autor da Base, cabe ao MEC coordenar o processo até a elaboração de um documento final."

Ilona critica principalmente a amplitude da consulta pública e diz que o processo pode levar a um compilado de contribuições não qualificadas. O MEC afirma que a intenção é que um debate com muitos grupos e especialistas seja capaz de melhorar o documento. A pasta garante que as incorporações das sugestões ao documento serão feitas com critério.

Fonte: Agência Brasil

 

Voltar